CRIANÇAS DE SERNANCELHE
           
 
 
         
 
 
:: 
   
 
 

 
 
 Voltar      
 
 
Desenhos das nossas crianças
   

As crianças começam a desenhar logo que têm idade para segurar num lápis e, mais do que uma brincadeira, o desenho revela aspectos da sua personalidade, situação familiar e social.
Os desenhos dão ao profissional de saúde informação riquíssima sobre o desenvolvimento emocional e intelectual, capacidade de percepção e de interpretação da criança.
O desenho livre permite à criança representar espontaneamente os seus interesses, medos, ansiedades, conflitos, a sua relação com o outro e com o mundo, o seu mundo real e imaginário.

 

Os estudos referem que desenhar é tão importante para o desenvolvimento das crianças como a linguagem. Os pais devem estimular a sua expressão plástica, e procurar compreender o que nos querem dizer os seus rabiscos

Fomentar o desenho nas crianças significa favorecer a sua aprendizagem, diverti-las, conhecer melhor a sua evolução, o seu carácter e como se sentem em cada momento. Sobretudo é fundamental quando a criança não sabe ainda muito bem como expressar-se.

Desde o momento em que o recém nascido abre os olhos para a vida, rodeia-o um mundo de cor. Brancos e negros para começar, e seguir vermelhos, amarelos, laranjas, rosas, violetas, todo o arco íris brinca com a criança, repartindo-se entre os lençóis e o berço, os brinquedos e a roupa. Inconscientemente inundamos de cor o quarto do bebé. Começamos assim a abrir-lhe a porta que dá passo ao mundo da criatividade e da fantasia.

Tudo isto contribui para a gestação do seu modo de expressão, fundamental nos primeiros anos, e chegará um dia, quando tiver os seus dois anos, em que apenas seja capaz de segurar o lápis, em que um impulso vital levará a criança a deixar sobre o papel (mas não só) a sua marca A criança iniciou-se no desenho, e a sua evolução ajudar-nos-á a conhecê-la ainda melhor.

Existe um sem número de materiais, de presentes obrigatórios que devemos oferecer aos mais pequenos sempre que seja possível. Papel, pintura para pintar com os dedos, têmperas, lápis de cera e marcadores grossos enquanto são pequenos, deixando os lápis para mais tarde. Deixemos que pintem com os dedos - as mãos e o corpo são o melhor meio de que dispõem para se expressarem livremente. Devemos ser prudentes com a interpretação dos rabiscos infantis, e não conferir uma importância excessiva ao seu sentido.

Os desenhos das crianças permitem-nos conhecê-las e ajudá-las na difícil tarefa de crescer e de aprender o que é o mundo. Através deles as crianças expressam as suas preocupações e os seus sentimentos mais íntimos. Os seus desenhos contam-nos tudo. Quando as crianças são pequenas, a sua linguagem gráfica é muito mais rica e expressiva do que o que lhes permite a sua linguagem oral precária. Querem descobrir-se perante nós, assenhorear-se do mundo. Para as ajudar, nada melhor do que convidá-las a desenhar.

Com um pouco de intuição e umas pautas muito simples, podemos interpretar o que querem dizer com os seus desenhos. Entre todos os temas possíveis, o da família é o que melhor reflecte o mundo em que as crianças se movem, e onde centralizam as suas vivências. É o tema do desenho infantil mais comum e mais representativo.

 

 

 
     
     

Free Web Counter

 Setembro 2006
     
  Autoria dos desenhos:  
 

 
  Margarida Maria Sobral Lemos  
     
     
   
     
   
   
   
   
     
     
   
     
     
     
   
   
   
   
  Rádio Infantil de Sernancelhe