Voltar

 
 
 

 zzzmmzzzzzmmz


 

 
 



 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
   
  Rádio Sernancelhe
online
 
   

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 
A minha caça: a Paisagem
 
 
 
 
 

 

 
 
 
   

 

 O encanto da Caça Fotográfica: alternativa à Caça com espingarda.

 

A motivação no passeio pelos monte, o conviver com amigos,
é o que actualmente motiva milhares e milhares de caçadores a sair de casa com uma arma pronta para abater os animais selvagens.
 

Na caça à foto de aves ou animais, calcorreia-se o terreno lentamente, em silêncio e com paciência, à procura sempre dum disparo em atingir o ser vivo, para então o revelar no computador ou papel em casa.
 

 

Caçar imagens

 
 

 

Caçar belas e inesperadas imagens de paisagens e floras com uma câmara fotográfica tem muitos dos atractivos e emoções associados à caça convencional, sem os seus tiros e riscos. Também o alvo natureza e as áreas de caça fotográfica são imensas...


Na actualidade a caça torna-se num desporto controverso e de alto risco.

As correntes ideológicas de ecologia actual propiciam a teoria que identifica a caça de animais selvagens um acto de natureza selvagem  e que não é actual para os tempos de hoje.
Os defensores da caça alegam que esta é já tão antiga quanto o próprio Homem.

É uma realidade, mas também não há dúvida que a evolução do ser humano se tem feito muitas vezes, à custa de mudanças dos comportamentos e rituais antiquados e primitivos por outros mais complexos e sofisticados.

Hoje em dia vemos cada vez mais e mais caçadores, chegando-se ao ponto de se afirmar por cá no interior que há mais caçadores que coelhos. Também as agressões ao meio ambiente com químicos, abate de árvores, sobreaquecimento e incêndios se tornam cada vez mais violentas e devastadoras destruindo os seres selvagens. Concerteza que a caça, como actividade desportiva, para não contribuir também ela para este enorme desequilíbrio terá necessariamente que assentar em modelos de controle e administração devidamente estudados. Sendo assim a caça é na actualidade uma actividade muito onerosa, que irá estar apenas ao alcance duma minoria.

É verdade que o interesse de muitos caçadores são o saborear das delícias dos animais selvagens do monte que caçam, o que não é a realidade do antigamente na necessidade em obterem os alimentos por tal meio, tendo de percorrer montes e montes. 

Não é hoje por conseguinte esse o motivo. Talvez a motivação no passeio pelos monte, o conviver com amigos, é o que
actualmente motiva milhares e milhares de caçadores a sair de casa com uma arma pronta para abater os animais selvagens.

Conseguimos contudo pela mesma motivação atrás referida, encontrar uma outra forma de caça, não só delineada e a apontar aos seres vivos, mas também direccionada à imensidão de paisagens, naturezas e autênticos jardins selvagens, ou seja a FOTOGRAFIA, cuja colisão com a natureza é nula

Tal comparação aparentemente parece paradoxal, todavia há muitas analogias.

Na caça à foto de aves ou animais, calcorreia-se o terreno lentamente, em silêncio e com paciência, à procura sempre dum disparo em atingir o ser vivo, para então o revelar no computador ou papel em casa.


Na caça às paisagens e naturezas, percorrem-se quilómetro e quilómetros, em qualquer altura do ano para obter sempre a imagem mais original ou paradisíaca do passeio.
Todo o equipamento, acessórios, licenças e cartas do caçador, são muito onerosos, e por vezes perigosos, causando anualmente uma diversidade de desastres humanos
Na fotografia gasta-se o investimento na máquina fotográfica digital, e não é necessária a manutenção em balas ou cartuchos.

Na realidade muitos fotógrafos de animais e naturezas foram por muito tempo caçadores de arma.

Não era grande admiração o abate dos inocentes animais selvagens: o cartucho emitindo centenas de chumbos nas várias direcções, dificilmente não acertava e até mesmo chumba todo o animalzinho.

A fotografia, assim sendo torna-se numa fase mais avançada de acertar na presa, e quase sempre com pouco sucesso. É que, descobrir o ser vivo, focar, não tremer e atingi-lo na totalidade com a paisagem envolvente é bastante difícil, mas sedutora, motivante e agradável.
Também procurar a mesma paisagens em diferentes momentos do dia, o mesmo cenário em períodos diferentes do ano, obriga a correr, percorrer, calcorrear montes, planícies e ribeiros, satisfazendo em simultâneo o nosso físico e psíquico com os quilómetros de ginástica então exigidos.

Assim sendo a fotografia das naturezas e vidas selvagens, desperta-nos à preciosidade da natureza, aos valores que alberga e às ameaças e riscos a que está sujeita.


Mesmo à volta de nossa casa, ou pelo concelho e serranias locais há sempre uma diversidade de cenários e acontecimentos vivos
onde é sempre possível estabelecer uma
simbiose com o fotógrafo, de modo que a fotografia, ou melhor, o fruto da caça seja passivo de desenvolver criatividade, motivação pela natureza e aos animais selvagens, e grande investimento na saúde.
   

Counter